sexta-feira, 10 de abril de 2015

Dissociar pra juntar de novo



Ô, menino
me diz o que é que
você carrega na ponta dos dedos
no meio da impressão digital
que quando me encosta
me infarta e me mata
só pra mostrar que pode me reanimar
e no meio de tanta falsa ordem
de tecidos e linhas e calor
abraço seus poros e cílios
de carona pelo seu curso
só pra acabar no seu dilúvio
e me afogar na sua bagunça
(porque não tem bagunça melhor mesmo)

*Arte de Sylvie Guillot

6 comentários:

  1. Lindo poema! Ah e a Sylvie Guillot com esses desenhos de corpos com a forma geométrica são puro amor <3
    Amanda, to sentindo falta

    ResponderExcluir
  2. Obrigada <3 são lindos mesmo! Sentindo falta de que, amour?

    ResponderExcluir
  3. Não foi o resto do meu comentário, Amanda.
    Sentindo falta das listas, mas vejo que você já fez uma.
    Um xêro

    ResponderExcluir
  4. Ah HAHAHA <3 quero voltar a fazer mais!

    ResponderExcluir